Vacina - Tríplice Bacteriana Acelular do Adulto (dTpa) - difteria/ tétano/ coqueluche

Indicação: Proteção contra a difteria, tétano e coqueluche.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 4 anos, adolescentes, adultos e idosos.

Contraindicações: Hipersensibilidade aos componentes da vacina (anafilaxia), encefalopatia dentro de 7 dias após vacinação seguindo a imunização prévia de vacina com o componente pertussis (coqueluche).

Esquema de doses:
Crianças a partir de 4 anos de idade e adultos não vacinados com DTP, DTPa, dTpa ou dT ou com histórico vacinal desconhecido: três doses com intervalo de dois meses entre elas, sendo uma dose de dTpa (ou dTpa-VIP) e as seguintes com dT. A partir daí, reforços a cada 10 anos com dTpa ou dTpa-VIP. Na impossbilidade da vacina dT, todo o esquema pode ser feito com dTpa o dTpa-VIP.
Crianças a partir de 4 anos e adultos com esquema vacinal incompleto: completar o esquema com uma ou duas doses, sendo uma só dose com dTpa ou dTpa-VIP e as demais com dT. Na impossbilidade da vacina dT, todo o esquema pode ser feito com dTpa o dTpa-VIP.
Crianças a partir de 4 anos e adultos com esquema primário de três doses completo: reforços de 10 em 10 anos com uma dose de dTpa ou dTpa-VIP.
Gestantes: é recomendada uma dose em toda gestação, a partir da 20ª semana, preferencialmente entre a 27ª e a 32ª semana. Na impossibilidade de vacinação da gestante com a dTpa, pode ser utilizada a dTpa-VIP.

Eventos Adversos: Febre, dor e vermelhidão local.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Varicela

Indicação: Proteção contra a varicela (catapora).

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 12 meses de idade, adolescentes e adultos.

Contraindicações: Imunodeprimidos, gestantes, crianças menores de 9 meses, alergia grave a componentes da vacina ou a dose prévia da vacina (anafilaxia).

Esquema de doses:
Crianças de 12 meses até 2 anos: 2 doses, a primeira a partir dos 12 meses de idade e a segunda entre 15 e 24 meses de idade, respeitando-se intervalo mínimo de 3 meses. A aplicação a partir de 9 meses deve ser feita sob orientação médica e esta dose deve ser desconsiderada.
Crianças maiores de 2 anos e menores de 13 anos: 2 doses, a segunda 3 meses após a primeira.
Crianças maiores de 13 anos e adultos: 2 doses com intervalo mínimo de 1 mês entre elas.

Via de aplicação: Subcutânea ou intramuscular.

Obs: Apenas a vacina do laboratório GSK está licenciada para aplicação em crianças a partir dos nove meses de idade.

Vacina - Hepatite B

Indicação: Proteção contra a hepatite causada pelo vírus B.

Quem pode se vacinar: Crianças, adultos e idosos. A vacina integra a rotina de imunização infantil, mas é recomendada para indivíduos de todas as idades.

Contraindicações: Gerais de todas as vacinas: quadro febril agudo ou alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses:
Crianças e adultos: três doses, sendo a segunda um ou dois meses após a primeira, e a terceira seis meses após a primeira dose. A primeira dose das crianças deve ser administrada nas primeiras 12 a 24 horas de vida, pois 90% dos recém-nascidos que são contaminados durante o parto desenvolvem hepatite crônica.
Prematuros com menos de 2000g ou 36 semanas de gestação: recomendam-se obrigatoriamente quatro doses, sendo a primeira com 12 a 24 horas de vida, a segunda com um mês de idade, a terceira um mês após a segunda dose e a terceira seis meses após a segunda dose.
Imunodeprimidos e pacientes renais crônicas: é necessário analisar resposta imunológica para se avaliar necessidade de modificação deste esquema, conforme indicação médica.
Obs: no sistema público, em virtude da vacina de tríplice de células inteiras combinada à vacina do hemófilo b e da hepatite B ser a única disponível para a rotina das crianças até 6 meses de idade, uma dose extra da vacina da hepatite B precisou ser acrescentada aos 4 meses de idade

Eventos Adversos: Raros (menos de 5%). Geralmente reações locais (calor, vermelhidão, dor), até 24 após a aplicação.

Apresentações:
Vacina Simples: Vacina hepatite B infantil e adulto
Vacinas Combinadas: Vacina Hepatite A e B
Hexa: Tríplice acelular (DTPa) + Hib + IPV + Hepatite B (infantil)

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Hepatite A

Indicação: Proteção contra a hepatite causada pelo vírus A, que é transmitido por água e alimentos contaminados, principalmente em áreas endêmicas e com saneamento básico precário.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 1 ano de idade, adultos e idosos.

Contraindicações: Alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses: 2 doses, sendo a segunda 6 meses após a primeira. A escolha da formulação pediátrica ou adulta dependerá da idade do paciente.

Eventos Adversos: Raros (menos de 5%). Reações locais são as mais comuns, até 24 após a aplicação.

Apresentações:
Vacina Simples: Vacina Hepatite A adulto e pediátrica
Vacinas Combinadas: Vacina Hepatite A e B.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Hepatite A + B

Indicação: Proteção contra as hepatites causadas pelo vírus A e pelo vírus B.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 1 ano, adultos e idosos não vacinados anteriormente contra as duas hepatites.

Contraindicações: Alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses:
Crianças de 1 ano até 15 anos de idade (inclusive):
Com a vacina adulto – duas doses, sendo a segunda seis meses após a primeira.
A partir de 16 anos, adultos e idosos: três doses da vacina do adulto, sendo a segunda um mês após a primeira, e a terceira seis meses após a primeira.

Eventos Adversos: Iaros (menos de 5%). Reações locais são as mais comuns, até 24 após a aplicação.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Gripe (Influenza)

Indicação: Proteção contra infecções causadas por vírus influenza (gripe) e suas complicações.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 6 meses, adultos e idosos.

Contraindicações: Alergia (anafilaxia) a um dos componentes da vacina, alergia (anafilaxia) à proteína de ovo.

Esquema de doses:
Crianças de 6 a 35 meses: no primeiro ano em que são vacinadas, duas doses de 0,25 ml com intervalo de um mês entre elas. A partir de então, doses únicas anuais.
Crianças de 3 a 8 anos: no primeiro ano em que são vacinadas, duas doses 2 doses de 0,5 ml com intervalo de um mês entre elas. A partir de então, doses únicas anuais.
Adultos e crianças a partir de 9 anos: dose única anual de 0,5 ml.

Eventos Adversos: Febre, dor e vermelhidão no local da aplicação até 24/48 horas após a vacinação.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Sarampo / Caxumba / Rubéola (Tríplice Viral)

Indicação: Proteção contra rubéola, caxumba, sarampo e suas complicações.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 12 meses, adultos e idosos.

Contraindicações: Imunodeprimidos, gestantes e alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina, alergia grave a ovo de galinha (anafilaxia).

Esquema de doses:
Crianças a partir de 12 meses: uma dose aos 12 meses, e reforço entre 15 e 24 meses.
Crianças a partir de 2 anos de idade e adultos: duas doses com intervalo mínimo de um mês. A vacina pode ser aplicada a qualquer momento, em qualquer idade, exceto durante a gestação. Idealmente todo adulto deve ter a comprovação de duas doses da vacina, aplicadas em qualquer momento da vida.
OBS: para mulheres em idade fértil, é recomendado evitar engravidar nos 30 dias seguintes à vacinação.

Eventos adversos: Raros, mas quadro gripal com ou sem exantema ou aumento da parótida podem surgir 7 a 10 dia após a aplicação.

Via de aplicação: Subcutânea ou intramuscular.

Vacina - Sarampo / Caxumba / Rubéola / Varicela (Tetra Viral)

Indicação: Proteção contra rubéola, caxumba, sarampo, varicela e suas complicações.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 12 meses até 12 anos de idade.

Contraindicações: Imunodeprimidos, gestantes e alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina, alergia grave a ovo de galinha (anafilaxia).

Esquema de doses:
Crianças a partir de 12 meses: uma dose aos 12 meses e reforço entre 15 e 24 meses (intervalo mínimo de 3 meses entre as doses).
Crianças a partir de 2 anos até 12 anos de idade: duas doses com intervalo de três meses.

Eventos Adversos: Raros, mas quadro gripal com ou sem exantema, pequeno número de vesículas na pele ou aumento da parótida podem surgir 7 a 10 dia após a aplicação.

Via de aplicação: Subcutânea ou intramuscular.

Vacina - Pneumocócicas Conjugadas (13-valente)

Quem pode se vacinar: A vacina pneumocócica 13-valente protege contra 13 sorogrupos de pneumococos e é licenciada para crianças a partir de 2 meses até 6 anos de idade incompletos e para adultos a partir de 50 anos.

Contraindicações: Quadro febril agudo ou alergia grave a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses:
Crianças de 2 a 6 meses de idade: três doses + uma dose de reforço – primeira dose o mais precocemente possível, a partir de 2 meses de vida, segunda dose 2 meses após a primeira, terceira dose 4 meses após a primeira. Reforço entre 15 e 18 meses.
Obs: quando a vacinação é iniciada fora desta faixa etária, o esquema de vacinação pode sofrer alterações.

A VPC13 é recomendada para maiores de 60 anos. Está licenciada a partir dos 50 anos de idade, ficando a critério médico sua recomendação nessa faixa etária. O esquema de vacinação do adulto combina a vacina pneumocócica conjugada 13 valente e a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente.
Obs: Idosos, crianças e adolescentes portadores de doenças de risco, para infecção pneumocócica (imunodeprimidos, cardiopatas e pneumopatas, asplênicos, entre outras) podem receber uma ou duas dose da vacina pneumocócica 13-valente, independentemente do histórico vacinal prévio. Na presença destas situações de risco também é recomendado esquema de vacinação combinando a vacina pneumocócica conjugada 13 valente e a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente.

Eventos Adversos: Dor, vermelhidão e enduração locais. Pode haver sintomatologia sistêmica, como febre, perda de apetite, irritabilidade.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Pneumocócica Polissacarídica 23-valente

Indicação: Proteção contra a infecção pelo pneumococo. Indicada para pacientes a partir de 2 anos de idade com doença de base que os coloquem em risco para a doença (diabetes, cardio e pneumopatias, esplenectomizados, etc.) e idosos. Não é vacina recomendada para imunização básica de crianças. Deve ser considerada como rotina para maiores de 60 anos.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 2 anos de idade, adultos e idosos.

Contraindicações: Quadro febril agudo ou alergia grave a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses: Para crianças, somente a partir dos 2 anos de idade em dose única. Sob orientação médica, pode ser indicado APENAS UM reforço após 5 anos.
Para pessoas a partir de 60 anos e pacientes de qualquer idade portadores de doenças crônicas de maior suscetibilidade para a doença pneumocócica: o esquema deve ser iniciado com uma dose da vacina 13-valente seguida de uma da vacina 23-valente dois meses depois e uma segunda dose da vacina 23-valente após cinco anos da primeira.

Reações Adversas: Dor, vermelhidão e enduração locais. Pode haver febre.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Meningocócica conjugada ACWY

​Indicação: Proteção contra infecções graves causadas pelos meningococos tipo A, C, W e Y (meningite, meningococcemia).

Quem pode se vacinar: Existem duas vacinas, uma licenciada a partir de 1 anos de idade e outra  a partir de 2 anos de idade. A vacina meningocócica ACWY é a vacina de escolha para os três reforços do esquema da infância: de 12 a 15 meses, 5 anos e 11 anos de idade. È também a vacina preferencial  para a imunização de adolescentes e adultos.

Contraindicações: Apenas as comuns a todas as vacinas:  alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses: doses de reforço do esquema infantil aos 12-15 meses e  aos 5 e 11 anos. Para adolescentes: duas doses com intervalo de 5 anos. Para adultos: dose única, mas outras doses de reforço poderão ser recomendadas a critério médico, a partir da análise de risco (epidemias, surtos etc.).

Eventos Adversos:  geralmente locais: dor, calor, enduração, vermelhidão nas 24/72 horas seguintes à aplicação. Pode ocorrer febre e dor de cabeça.

Via de aplicação: Intramuscular.

Clique aqui e saiba mais sobre meningites.

Vacina - Meningocócica C Conjugada

Indicação: Proteção contra as meningites causadas pelos meningococo tipo C.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 2 meses, adolescentes, adultos e idosos. É a vacina de escolha para as duas primeiras doses do esquema infantil.

Contraindicações:  alergia grave a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses:
Crianças de 2 meses a 6 meses de idade: primeira dose o mais precocemente possível a partir de 2 meses de vida, a segunda dose 2 meses após a primeira. Pode ser utilizada nos reforços de 12-15 meses e dos 5 e 11 anos de idade, na impossibilidade de utilização da vacina meningocócica ACWY. Reforços posteriores deverão ser avaliados por médicos, em situações de risco.
Obs: quando a vacinação é iniciada fora da faixa etária dos seis primeiros meses de vida, o esquema de vacinação pode sofrer alterações.

Reações Adversas: Dor, vermelhidão, enduração locais. Podem ocorrer  febre e irritabilidade.

Apresentações:

Vacina para Meningite C Conjugada com Toxóide Diftérico – Meningitec (Pfizer)
Vacina para Meningite C Conjugada com Toxóide Tetânico – Neisvac-C (Baxter)
Vacina para Meningite C Conjugada com Toxóide Diftérico – Menjugate (Novartis)

Vacina – Meningocócica B

Indicação: Proteção contra doença meningocócica invasiva (meningite, meningococcemia) causada pelo meningococo do tipo B.

Quem pode se vacinar: Crianças a partir de 2 meses, adolescentes e adultos até 50 anos de idade.

Contraindicações: Apenas as contraindicações gerais de todas as vacinas: quadro febril agudo ou alergia grave (anafilaxia) a um dos componentes da vacina.

Esquema de doses:

  • Crianças até 6 meses: três doses aos 3, 5 e 7 meses de idade (intervalo de 2 meses entre as doses), com um reforço entre 12 e 15 meses.
  • Crianças entre 7 e 11 meses: duas doses com intervalo de 2 meses e reforço entre 12 e 15 meses de idade, com intervalo mínimo de 2 meses da última dose.
  • Crianças entre 12 meses e 10 anos de idade: duas doses com intervalo de dois meses.
  • Crianças a partir de 11 anos, adolescentes e adultos: duas doses com intervalo de um mês.

Eventos Adversos: reações locais (dor, vermelhidão, inchaço e calor no local da aplicação) e febre, principalmente nas seis primeiras horas após a vacinação, que geralmente regride em 72 horas.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - HPV

Atualmente existem duas vacinas diferentes contra o HPV. Cabe ao médico decidir qual vacina será recomendada.

Indicações: Protege contra as doenças causadas pelo papiloma vírus humano (HPV). Alguns tipos de HPV estão envolvidos no surgimento das verrugas genitais (ou condilomas) e outros tipos relacionam-se ao desenvolvimento de câncer genital (colo de útero, vulva, vagina, pênis, ânus). Virtualmente todo câncer de colo de útero é causado por infecção pelo HPV.

Quem pode se vacinar: Duas vacinas estão disponíveis no Brasil: uma contendo os HPVs dos tipos 6, 11, 16, 18,  licenciada para meninas, meninos e jovens de 9 a 26 anos de idade e outra, contendo os HPVs dos tipos 16 e 18 , licenciada para meninas e mulheres a partir dos 9 anos de idade.A vacinação de mulheres com mais de 26 anos, com ambas as vacinas, é considerada segura e eficaz por órgãos regulatórios de muitos países. Mulheres mesmo que previamente infectadas podem se beneficiar da vacinação.

Contraindicações: Hipersensibilidade aos componentes da vacina (anafilaxia), e gestação (pois não existem estudos de segurança).

Esquema de doses: 3 doses, sendo a segunda um ou dois meses após a primeira  e a terceira seis meses após a primeira. A vacina HPV deve ser iniciada o mais precocemente possível, a partir de 9 anos de idade. O PNI adotou esquema de vacinação estendido: 0-6-60 meses para meninas menores de 13 anos

Reações Adversas: geralmente locais (dor, vermelhidão, inchaço, prurido). Reação sistêmica (febre) também é rara.

Via de aplicação: Intramuscular.

Vacina - Rotavírus

Indicações: Imunização contra infecções gastrintestinais causadas pelo rotavírus.
EXISTEM DUAS VACINAS DIFERENTES CONTRA O ROTAVÍRUS, COM ESQUEMAS VACINAIS DIFERENTES. A ESCOLHA ENTRE AS VACINAS É PRERROGATIVA MÉDICA.

Quem pode ser vacinar: Bebês a partir de 6 semanas de vida, SENDO QUE A PRIMEIRA DOSE PODE SER FEITA NO MÁXIMO ATÉ 14 SEMANAS DE VIDA.

Contraindicações: Imunodeficiência congênita ou adquirida; uso de imunossupressores (quimioterapia, radioterapia); reação alérgica grave a um dos componentes da vacina; doença gastrintestinal crônica; malformação congênita do trato digestivo; história prévia de invaginação (intussuscepção) intestinal, quadro febril agudo moderado a grave.

Esquema de doses:
Vacina monovalente: duas doses, a primeira a partir de 6 semanas e antes de 14 semanas de vida. O intervalo entre as doses é de 2 meses, aceitando-se um mínimo de 4 semanas. A segunda dose não deve ser aplicada após 7 MESES E 29 DIAS DE VIDA.
Vacina pentavalente: três doses, a primeira entre 6 e 12 semanas (no máximo até 14 semanas de vida), a segunda com intervalo mínimo de 4 semanas da primeira dose (entre 10 e 22 semanas) e a terceira no máximo até  32 semanas, com intervalo mínimo de 4 semanas entre as doses. Caso a primeira dose não tenha sido aplicada até 14 semanas de vida, a vacinação não poderá mais ocorrer. A terceira dose não deve ser aplicada após 32 semanas de vida.

Reações Adversas: sintomas gastrointestinais leves.

Via de aplicação: Ambas as vacinas têm aplicação oral e não há necessidade de jejum antes ou depois da aplicação. Em casos de vômitos e regurgitação, não há necessidade de repetir a dose.

#mk-accordion-5b53eb74607a0 .mk-accordion-pane{ background-color:#ffffff; }

Pesquisar no site